Eis aqui um desabafo... (parte I)

05-12-2010 00:36

 Texto escrito pelo integrante da equipe do aprendendoapensar, Cirineu Jr.

   É incrivel como em certo ponto da vida você consegue ter um ponto de vista diferente daquele que você tinha antes. Não tenho certeza se este texto é um desabafo ou se é uma crítica social, mas não gosto de falar em crítica social, porque viria em meu texto a sensação de que quem escreve são aqueles senhores que ficam analisando a sociedade 24 horas por dia e que tem que escrever textos críticos sobre tudo de dentro de um escritório. Não é essa a idéia. Quem escreve esse texto é um adolescente de 17 anos que chegou em casa à noite, veio em seu computador e está tentando passar a sensação que sentiu quando viu alguns de seus amigos de infância completamente chapados, com olhos vermelhos e que, nos 30 minutos de conversa que teve com eles ( tempo este para pegar o ônibus e chegar até em casa) , percebeu que seus amigos não tinham nenhuma perspectiva de vida.

   Sinceramente, é realmente estranho relatar isso. Primeiramente, devo descrever toda a situação. Vivi grande parte de minha vida em um mini bairro. Digo mini bairro porque se trata de um conjunto de condomínios, onde todos se conhecem, todos sabem da vida de todos e que se tem uma relação de proximidade com muitos. Todos os meus amigos de infância se concentravam em uma ou duas ruas. Falo de um grupo de 20 amigos. Quando digo amigos, são aqueles que você traz na sua casa, come com eles, brinca com eles, muitos deles dormem na sua casa. Amigo mesmo. Esses 20 amigos viveram muitos anos repartindo da sua vida, de suas brincadeiras, de suas idéias. Passavam-se anos, natais, ano-novo, e toda aquela infância era legal. Adolescência também. Passamos alguma parte da adolescência juntos, até uns 15 ou 16 anos. Lembro-me do futebol das quintas feiras, onde eu e mais um menino organizávamos tudo: os times, o dinheiro, o contato com a quadra de society. Lembro-me daquelas tardes de sábado no condomínio deles ( porque eu morava em um outro prédio mais abaixo ) onde dividíamos risadas, dividíamos idéias, pensamentos ainda inocentes. Rodadas de truco, esconde-esconde, futebol na quadrinha de areia, ou o shopping no domingo. Ainda alguns estudavam no mesmo colégio que eu. Pegávamos ônibus junto. Ah, tudo era legal e, quando me lembro, me vêem suspiros de... bom não sei do que... mistura de sorriso, lamentação, pena. Enxergo isso tudo, todas essas lembranças, com um olhar diferente sabe. Digo assim porque é um olhar de comparação. Mas isso já explico o porquê.

   Algum tempo se passou. Eu parei de andar com essa meninada por motivos que não vem ao caso agora ( quando falo assim, parece que é grave... mas não é não, é o tempo... um dia você não chama pra descer, no outro não fala no MSN, no outro você já faz outras coisas, quando vê não fala mais com essas pessoas, enfim... ). Um tempo se passou, uns ou dois anos. Eu tomei outro caminho, me dediquei aos estudos com minha namorada. Saí do colégio em que estudava e que os outros também estudavam. Consegui uma bolsa em um colégio de elite de Curitiba cuja mensalidade é o salário que meus pais ganham no mês. Comecei a seguir outro rumo. Encontrava alguns desses meninos na rua. Muitas vezes me chamavam pra jogar futebol, pra sair, ir ao shopping. Muitas vezes ( pra não falar todas), não ia. Não por querer, muito pelo contrário, às vezes esquecia, às vezes tinha outros compromissos, às vezes no outro dia tinha prova e também por que eu andava mais lá pra casa da minha namorada do que pra cá, neste mini bairro. Nunca mais falei com eles. Perdi contato.

Continua... ( Eis aqui um desabafo [parte II] - "Pensando Bem" )